Blog Free Classificados | Sac@freeclassificados.com | Whatsapp: 11995901930 

Juiz sul-coreano rejeita mandado para indivíduo envolvido no colapso do Terra, diz relatório

/
/
/
262 Views


Em sua decisão de indeferir o mandado, o juiz teria considerado que Yoo Mo tinha residência e laços familiares na Coreia do Sul e já estava impedido de deixar o país.

O mandado para Yoo Mo, chefe da equipe de negócios da Terraform Labs, foi demitido menos de 48 horas depois de ter sido emitido.

De acordo com um relatório de 6 de outubro da Agência de Notícias Yonhap da Coreia do Sul, o juiz Hong Jin-Pyo, do Tribunal Distrital Sul de Seul, disse que era difícil ver a “necessidade e o significado” de prender Yoo. A promotoria na mesma jurisdição supostamente emitiu um mandado de prisão para o executivo da Terraform Labs em 5 de outubro por acusações que incluíam violação da Lei de Mercado de Capitais e fraude por manipular o preço do TerraUSD (UST) – agora TerraUSD Classic (USTC).

O juiz teria considerado o fato de Yoo ter residência e laços familiares na Coreia do Sul e já ter sido impedido de deixar o país em sua decisão. Além disso, ele questionou se o token LUNA se qualifica como um “título de contrato de investimento” sob a Lei do Mercado de Capitais da Coréia. Yoo supostamente não contestou seu envolvimento na operação e gerenciamento de um dos programas de bots automatizados do Terra, que estavam no centro do escândalo.

Yoo foi o primeiro indivíduo a ter potencialmente enfrentado acusações após o colapso da Terra em maio. Os promotores têm a opção de reaplicar um mandado de prisão.

Em setembro, um tribunal sul-coreano emitiu um mandado de prisão para o cofundador do Terra, Do Kwon, seguido pela Interpol adicionando seu nome à sua lista de Alerta Vermelho. No momento da publicação, o paradeiro de Kwon era desconhecido. Relatos sugeriram que o cofundador do Terra pode ter deixado Singapura, mas o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul ordenou que ele entregasse seu passaporte até 20 de outubro ou corresse o risco de ter o documento de viagem internacional anulado.

  • Terra (LUNA) pode deixar um legado regulatório semelhante ao da Libra do Facebook

O caso contra Kwon e Terra teve muitas implicações legais para empresas no espaço cripto. Em setembro, o vice-ministro do Ministério do Comércio da Indonésia propôs exigir que dois terços dos diretores e comissários das empresas de criptomoedas fossem cidadãos, supostamente para impedi-los de “fugir do país se surgir algum problema”.

VEJA MAIS:

  • Criptomoeda de graça: Binance está dando mais de US$ 10 mil em Cardano, FOR e NFTs exclusivos de graça para seus usuários

  • Banco Central Europeu pede regulamentação proativa para stablecoins

     

  • Museu do Ipiranga vai promover festival de games com prêmio de US$ 2 mil na moeda WiBX

Fonte de dados: Cointelegraph

Leave a Comment

Your email address will not be published.

This div height required for enabling the sticky sidebar
Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views :
Fale Conosco!